sábado, março 22, 2003

A Fabrica de Fundiçao - report

Fica a uns 20/30 minutos da casa do Coroneu. Apanha-se o autocarro (ônibus), que no verão é um armazém de suadoiro e de inverno até se vai bem (o segredo é entrar de lado para arranjar lugar sentado). No outro dia o motorista parou, pegou num maço tamanho cabeça-Mário-Soares saiu para dar umas marretadas nas rodas, mas não estavam furadas e continuou o trajecto.

A fábrica em si tem 5000 empregados e até está bem organizada. O pior foi ao principio ainda com temperaturas exteriores de 35ºC (final de Verão) e no interior ao pé de fornos a 1500ºC. Outro armazém de suadoiro. Se ficávamos parados o chão manchava pingado do suor...

O Coroneu está na área de conexões q são aqueles ' T's ' ou curvas ou junções que servem para ligar dois ou três tubos de ferro (canalizacões de água e gás). O processo começa na fundição do metal e acaba na expedição. É a 3ª maior fundição do mundo ("e a maior da América Latina", como eles aqui gostam de salientar), exporta p Europa, Ásia, EUA...

O horário de trabalho é das 7:30h - 17:00h, pois é aqui amanhece e escurece mais cedo, uma coisa a que o Coroneu ainda não se habituou bem...

quinta-feira, março 20, 2003

Joinville, essa bela localidade - report



fica no estado de Santa Catarina, no sul. Tem quase 500 mil habitantes, o mesmo número que o Porto, mas muito menos opções. É a maior cidade do estado embora não seja a capital (que é Florianópolis - Floripa - chamada 'ilha mágica', onde passei o carnaval).

Fica na costa e a praia mais próxima é a 40 minutos de carro, na ilha de São Francisco. Um braço do mar (chamado rio(?) cachoeira), atravessa a cidade, ao lado do morro que ainda não tem favela. Como em todo o sul a especialidade gastronómica é o churrasco, aqui também se come muito marisco.Rodizio de pizzas, frutos do mar, whiskeria - é dificil arranjar peixe!.

Em volta da cidade é só mata atlântica, muito cerrada e verde, cheia de lianas e rica em fauna. Para abrir trilhas só com catana e nunca sozinho. Tem dois cognomes: cidade das flores e cidade das bicicletas (embora só tenha uma ciclovia q é na saída da minha fábrica). As ruas são perpendiculares e rectas, com edificios que parecem o norte da europa. Tanto as ruas como o sobrenome das pessoas são muito do género Schmidt, Meyer, Falgatter, Mueller...

Tem um minizoologico, com capivaras (genero de javali), papagaios, tucanos, araras, macacos e outros afins... Tem 2 centros comerciais, sendo o principal do grupo do Berlusconi. Tem um hipermercado, o BIG, da nossa Sonae. Os dois clubes que há são o JEC (Joinville Esport Clube) e o Caxias.

Eventos culturais, desde 28 de Fevereiro, houve: 3 teatros e 3 concertos de musica. Esta última semana houve também o grande acontecimento que é a semana da dança, em que se vêm apresentar grupos da região e de outras nacionalidades; inclui dança de rua, bailado, contemporanea, jazz...

Esperamos com ansiedade a Oktober Fest, em Outubro.

sexta-feira, março 14, 2003

Do Brasil - report

Como diz o Tiago C., outro capeta camarada do Coroneu, o Brasil não é um país são vários países.
(ele disse em copofonia, portanto é capaz de n se lembrar, mas o Coroneu dá-lhe as honras à mesma)

O Coroneu já foi a Porto Seguro na Bahia (nordeste), ao Rio de Janeiro e a São Paulo. As pessoas são muito diferentes entre si, na Bahia são mais pobres e básicas, pele mais escura, mas simpáticas e acolhedoras, no Rio mais descontraídas, morenos da praia, passeiam na rua junto ao calçadão à noite, gostam de conversar são informadas mas simpaticas e acolhedoras, em SP mais preocupadas e profissionais, muitas preocupações de segurança, muito envolvidas com as 1001 opções culturais, mas simpáticas e acolhedoras.

Em Joinville, pela influência sobretudo alemã que colonizou a região, são mais trabalhadoras, nivel de vida mais alto, pele branca, cabelo e olhos claros, diz-se serem as pessoas mais bonitas do brasil, simpáticas mas nem tanto acolhedoras.

O ordenado minimo aumentou em Março 40 reais com o Lula - é agora de 240 (+/-14.400$00).

domingo, março 09, 2003

O microclima da Mata Atlântica - report

(sem conotações sexuais)
Bem vindo a Joinville e à Mata Atlântica onde a temperatura se mantém sobre os 30ºC fora da fábrica. Dentro da fábrica ao pé dos cubilôs quando paramos para explicarem, o cimento do chão fica manchado do suor. Os fornos cubilôs estão a 1500ºC. É duro trabalhar em fundição.

A roupa já se cola ao corpo do Coroneu 5 minutos antes de sair de casa. No Verão o truque é entrar no autocarro - ônibus - e ficar em pé, junto à janela. Sentado não que a camisa fossiliza-se ao acento. O autocarro consegue suar mais que o apinhado lá dentro.

Depois dos fornos sair para os 35ºC ao sol, parece uma piscina de água fresca. Ao entardecer chove e troveja uns 10 minutos, por vezes árvores caiem em cima de carros imprevidentes e cortam as ruas inundadas.

Ao menos arrefece em Joinville, pelo que dizem o 2º lugar com maior humidade do planeta...